domingo, 31 de julho de 2011

O Vilarejo do Peixe Vermelho - Cia. Clara



"Sabe quando aparece uma pedra no meio da calçada,no meio do passeio... é um peixe. Um perixe vermelho."

sábado, 9 de julho de 2011

Turma de Teatro Visita os Teatros: Marilia e Ideal.

Seminário - História da Música Brasileira ( Fotos )


Rock Nacional - Circo

Samba Soul/Funk - Harmonia

Erudita - Módulo II

Tropicalia - Artes Visuais

Blocos Afro - Percussão

Jovem Guarda - Teatro

Teatro de Revista - Teatro

Era do Rádio - Canto

Por Elise - Espanca!




Diretamente, retrata o medo do homem de envolver com as coisas, como ele age a respeito disso. Como várias se cruzam facilmente de forma fragilizada mas que pode mudar tudo. As barreiras que o homem constroi contra o que tem medo e como seguem algo fielmente, nas mais contradições somos iguais e passamos por coisas iguais impostas pelo amor, que por não sabermos lidar, machuca.

Congresso Internacional do Medo - Espanca!



Confessamos.

Somos devotos do Espanca!

" O medo, é a véspera da coragem!"

Confesso também que eram raras as vezes em que prestava atenção nas falas, pois o que mais me prendeu foi a composição da cena. O aquário principalmente, o modo como os peixes reagiam ao que acontecia ao redor, que na verdade era no centro. As reações dos personagens a acontecimentos inesperados e uma tradutora meio sem proposito real.

Cena - Cada Um Cumpra Com o Seu Dever

Como sair do comum em relação a isso? Como criticar,sem perder o sentido mas sem bater na mesma tecla?

Fomos dividos em 5 grupos para criarmos cenas,e acho que funcionou super bem. Por ter uma variedade na utilização dos vários significados do "dever" caímos um pouco na comédia. Mas como comédiar algo, sem torná-lo um entretenimento e sim algo que ainda crtica e te faz pensar depois do riso?!

Não foi nossa imediata intenção,mas o bom é que trabalhamos com nosso sub-consciente e ele não nos deixou esquecer isso. Tivemos de escolher uma das cinco cenas criadas para que a sala toda a fizesse. Para mim foi uma escolha dificil, pois as cenas não tinham tamanha estrutura para isso, mas a maioria escolheu a cena do meu grupo o que me fez questionar: Se é para todo o teatro,não teria que ser uma ideia mais séria?

Não tinhamos tempo para criarmos outra cena,e já que foi escolha da maioria fomos para as adaptações o que també funcionou muito bem. A turma do teatro entrou numa sintonia muito grande,e estamos resolvendo tanto as criações como as práticas muito rapidamente a com muita concentração.

o melhor de tudo isso, é que conseguimos linkar a cena com a ideia de critica. Retratamos uma comunidade fora do comum, onde o dever é comum e o pagar totalmente errado. Brincamos com alguns trocadilhos sobre as pessoas acreditarem no que é belo, nas propagandas que iludem as pessoas,dos preconceitos contra aqueles que não são iguais a maioria.

Acho que foi mais um grande passo dado por nós.

Espetaculo Larvárias




A "humanidade" das Larvas.

Como entender a emoção tão forte e avassaladora? Como controlar algo sem explicação?

Não ser homem e nem animal...?!

Um espetáculo LINDO, que retrata uma linha tênue do nosso cotidiano: as relações.

A galera TOOODA chorou ( né Ismael e Danilo? )

Projeto Interdisciplinar - Palco Aberto

Uma experiência nova e para muitos até um susto.

Nesta semana(05/07 a 08/07) no Valores,houve a junção de duas areas. Como o Teatro e a Música(Canto,Harmonia e Percussão) e Circo com as Artes Visuais. Neste processo, trabalhamos juntos os pulsos e compassos Binários,Terciarios e Quaternarios. Criamos cenas com a area toda misturada e depois separadamente, trabalhamos cenas e arranjos para depois encaixarmos tudo.

Podemos dizer que já estamos em época de espetáculo, porque fácil o processo não é, mas é muito aproveitativo,embora pudesse ser mais.

Houve muita disperção e falta de compromisso de algumas pessoas que infelizmente atrapalham o andamento de todo o grupo, mas o resultado qualquer um que tenha sido já foi válido pelo aprendizado de uma experiancia nova.

Oficina - Dança Afro Brasileira

03/07

Que energia!

Eu me senti tão inteiramente eu nesse domingo! O bailarino e coreografo Evandro Passos,deu Oficina de Dança Afro Brasileira no Festival Plug Minas durante todo o domingo, juntamente com seu percussionistas.

Antes de aprendermos a dançar, aprendemos a raiz da dança pois como ele mesmo disse, nós não dançamos por nada,mas sim por um significado maior que nossa propria satisfação.

Aprendemos sobre Mercedes Baptista,a primeira bailarina negra a entrar no Municipal,entretant sofreu muitos preconceitos lá dentro. Depois de ingrençar no estudo do Teatro Folclorico e Negro, ganhou uma bolsa nos EUA onde viu sua carreira expandir e quando voltou, criou sua propria instituição de Ballet,desenvolvendo assim o Ballet Folclorico e assim, as mais diferenciadas formas de danças brasileiras.

A dança Afro, é como se fosse um rito, uma homenagem aos nossos acestrais,as nossas origens. não espiritualmente,mas a jornada que nos trouxe a vida e o que nos fez sermos deste modo em personalidade.

É uma leitura única de cada pessoa que dança, podendo ser a mesma coreográfia mas o sentido é com muita certeza diferente.

Oficina - Dança como Expressão Fundamental do Ser

02/07


A Oficina de Dança Contemporanea com a bailarina/professora Cyntia Reyder no sábado,segudo dia do Festival PLug Minas foi muito, mais muito mais do que eu esperava.

A Dança Contemporanea me atrai de muitas as formas pela liberdade que lhe é atribuida. É uma liberdade de movimentos,sem ser coreografado de todo,mas que exige precisão e entrega imensamente em seu processo. É composta por atos simples,que já praticamos a qual aperfeiçoamos a uma música,a um ritmo. Nos deixamos seguir pelo que vem muito de dentro,pois nem percebemos as pequenas coisas que acordam junto com a música.

Tudo é dança. Todo movimento.

Quanto mais você trabalhar com seu corpo, e descobrir membros e partes que são desconhecidas pra você,mais é inteira a sua entrega numa criação. Quanto mais percepão de que se tem que limpar o corpo das sujeiras do mundo, como a tensão, o estresse, o rancor, melhor é para aliviar suas articulações e libera-las,e limpar o seu movimentar.

Realmente a dança é fundamental ao ser, pois precisamos saber como expressar o que somos,o que fazemos, o que sentimos e o que pensamos sem palavras,mas no ato.

Quando se dança,se conta uma história. E como toda história para ser contada,tem que ser emtendida e aprendida primeiro.

Valeu muito a pena ficar o sábado inteiro dançando!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Mais um ciclo.

O tempo tá passando muito depressa.

Nós tivemos duas semanas para a preparação do Seminário, que aconteceu e já acabou.

Um ciclo que foi fechado,e agora outro que se iniciará com uma nova proposta,e o melhor,totalmente diferente da anterior.

Vamos trabalhar com o texto de Nelson Rodrigues "O Beijo no Asfalto", em três atos. Vai ser um desafio, -como todos os outros,estamos divididos em três grupos e trabalharemos com os nossos respectivos atos. É hora de abrir a mente, e trazer tudo aquilo que nos foi ensinado para que as adaptações sejam esplendidas,e que a turma finalize mais um trabalho de forma satisfatória.

Estou ansiosa para começar,e como não queremos e não podemos perder tempo, os textos já estão sendo escritos e as ideias,sendo colocadas em prática!

Curiosidades:
- Nelson Rodrigues

Importante nome da dramaturgia brasileira, escritor e jornalista.

Por muito tempo, fora repórter policial de onde acomulou experiencias e vivências ,e também é de onde tirara das suas vastas criações a inspiração. Devido aos temas fortes,suas peças eram taxadas pela critica de imorais e obscenas, o que não impediu de ser o nome de referencia da literatura brasileira em sua geração.

"Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura. Nunca fui outra coisa. Nasci menino, hei de morrer menino. E o buraco da fechadura é, realmente, a minha ótica de ficcionista. Sou (e sempre fui) um anjo pornográfico(desde menino). "